Vereadores se reúnem com Representante da Empresa Autoviação Rainha

por Marili Teresinha Rossi Muller publicado 13/11/2018 08h46, última modificação 13/11/2018 08h46
No dia 05 de novembro, às 16:30 h, na sede administrativa da Câmara de Vereadores, Célio Roberto Hostin, representante da Auto Viação Rainha, responsável pelo transporte no município, se reuniu com os Vereadores para discutir sobre o transporte em Luiz Alves realizado pela empresa.

Os Vereadores apresentaram preocupações dos munícipes e a necessidade que o município tem de mais linhas intermunicipais e linhas internas.

A população tem se manifestado aos Vereadores e solicitado outros horários tanto intermunicipais , como a possibilidade de linhas internas que possibilitem o acesso aos serviços básicos do município, como Postos de Saúde, Correios, bancos, hospital , sindicato e comércio em geral. 

O representante da empresa alega que a disponibilização de novas linhas não se sustentariam, devido aos munícipes de Luiz Alves , se utilizarem de seus veículos para o transporte pessoal e muito pouco do transporte coletivo.

Os Vereadores questionaram que este círculo " não usa porque não tem" , " não tem porque não usa"  tem causado reflexões importantes entre os munícipes.

É de conhecimento de todos que a mobilidade urbana é uma das responsabilidades do município .  O Poder Público, além da educação, saúde, segurança,  transporte escolar, também precisa apresentar soluções para o transporte coletivo, já que as pessoas não podem se utilizar do transporte escolar para realizarem seus serviços rotineiros ou mesmo se dirigir ao trabalho diário. 

Assim como nas leis de trânsito, mesmo os veículos sendo a maioria, a prioridade é do pedestre, o estímulo e o cuidado com o transporte de todos, de forma coletiva, deve ser estimulado pelo Poder Público e pelos responsáveis pelo transporte.

Algumas questões pontuais de transporte de estudantes universitários também foram tratadas, a fim de melhorar o percurso e melhor atender estes munícipes. Porém, ainda ficou um impasse quanto à ampliação de horários intermunicipais e internos, que dependem de uma proposta sustentável de transporte.